Rede Profis

Artigos

A pessoa com fissura labiopalatina: conhecimento e concepção sobre deficiência



RESUMO:
Introdução: A pesquisa teve como objetivo investigar a concepção de pessoas com fissura labiopalatina sobre a questão da deficiência e do acesso aos seus direitos de cidadania. Materiais e Metodologia: Entrevista semi-estruturada, com abordagem quanti-qualitativa e amostra de 360 indivíduos com fissura labiopalatina, residente em  todo o  Brasil, na faixa etária dos 18 a 35 anos, e em tratamento no HRAC/USP. Resultados: Em relação ao perfil, 55,8% eram do sexo feminino, 75,2% das classes baixas e 60,3% estavam em tratamento por um período de 11 a 15 anos. A maioria (68,9%) não conhece a legislação sobre deficiência, mas 43,1% sentem necessidade de acesso a cotas no trabalho. Sobre constrangimentos devido à fissura, anteriormente 77,5% vivenciaram dificuldades sociais, e atualmente 28,1%. Com relação ao posicionamento sobre deficiência, 24,7% se consideram pessoas com deficiência, contudo os menores índices concentraram-se nas regiões sudeste (14,6%) e sul (20,2%). Por outro lado 75,3% não se consideram, devido ao sucesso da reabilitação. A maioria (81,4%) é favorável ao enquadramento da fissura como deficiência, não havendo diferença significativa de posicionamento entre as diversas regiões. Discussão: Ao relacionarmos alguns indicadores socioeconômicos das diversas regiões, não encontramos diferenças significativas quanto a estratificação, escolaridade e ocupação, evidenciando a superação de limitações loco-regionais e pessoais em função da reabilitação. No tocante às dificuldades e constrangimentos devido a fissura labiopalatina, verificou-se que houve diminuição dos índices, nas fases da vida, devido ao sucesso da reabilitação. Quanto a reserva de cotas no mercado de trabalho, o baixo índice de acesso ocorre devido a falta de clareza da legislação brasileira sobre a categorização da fissura labiopalatina como deficiência, sendo defendida pela maioria como oportunidade de acesso. Conclusão: O enquadramento da fissura labiopalatina como uma deficiência é recomendado pela maioria, mediante sistema de graduação do comprometimento anátomo-funcional, garantindo o acesso a direitos de cidadania.

Palavras-chave: Deficiência, Fissura Labiopalatina, Direitos de Cidadania


Acesse o Link para ler o artigo inteiro:

Rede Profis - Rua Silvio Marchione, 3-20 - Bauru/SP - Fone: (14) 3235-5699